quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Woman in love - Barbra Streisand - (Traduccion)



Boa Tarde a todos que acompanham a tela da Reflexão.

Ceci Medeiros - Caju em Flor


Se houve um sonho
Acorde
pois agora vai chegar o sol
E esse canto é apenas
A ternura do dia
Que encanta-nos
Com a voz e o violão doce
de Ceci Medeiros

Manoel Messias Pereira
Tela da Reflexão

Helena Paparizou - My Number One


Bom Dia
que possamos
compartilhar este último dia do mês de janeiro/2013
ouvindo a musica da cantora aniversariante do dia.

Fatos Históricos importantes do dia 31 de janeiro

Guerra Civil no Chile em 1891
Em 31 de janeiro de 1891 - Teve inicio a Guerra Civil no Chile o conflito armado entre os partidários do Congresso Nacional contra o presidente da República Jose Manuel Balmaceda.
Movimento revolucionário de 1891 em Portugal

Em 31 de janeiro de 1891 - Ocorreu o primeiro movimento revolucionário com o objetivo de implantação do regime repúblicano em Portugal na cidade do Porto. As causas foram as cedencias do governo e da Coroa ao últimato britânico de 1890, que pretendiam  ligar por terra Angola e Moçambique.
Em 31 de janeiro de 1928 - Leon Trotstky foi expulso da União Soviética.

Em 31 de janeiro de 1950 No contexto da Guerra Fria o presidente Harry Truman dos Estados Unidos ordenou a fabricação da Bomba de Hidrogênio utilizada como chantagem contra os países socialistas.


~Presidente Juscelino Kubistcheck e o seu vice João Goulart


Em 31 de janeiro de 1956 - O engenheiro Juscelino Kubitscheck de Oliveira tomou posse como Presidente do Brasil , junto ao  seu vice João Goulart.

Presidente francês Giscard Destaing

Em 31 de janeiro de 1977 - O presidente francês Giscar Destaing, inaugura em Paris o Centro de arte George Pompidou.
Em 31 de janeiro de 1977 - Nasceu a atriz norte americana Kerry Washington

Em 31 de janeiro de 1994 - Tomou posse na Argélia o General Liamine Zerual com a promessa de que os militares vão tentar resolver a crise nacional através do diálogo.

Suspensa reitegração e assegura permanência de famílias no assentamento Milton Santos









suspensa reintegração e assegura permanência de famílias no assentamento Milton Santos



Publicado em Quarta, 30 Janeiro 2013 11:15 do sítio de INCRA

Advocacia-Geral da União (AGU) garantiu, na Justiça, a permanência das 66 famílias que residem no assentamento Milton Santos, localizado na cidade paulistana de Americana. A liminar foi deferida na ação de oposição apresentada em defesa do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) que busca comprovar a titularidade do Sítio Boa Vista.



De acordo com a Procuradoria-Regional Federal da 3ª Região (PRF3), que atua em defesa do INSS, foi anexada à ação cópia do Decreto nº 77.666/76 comprovando que o imóvel foi incorporado à propriedade da autarquia previdenciária, e também, registros imobiliários que demonstram que o local está cadastrado em nome do Instituto.



A unidade da AGU alertou que a retirada de todas as famílias poderia causar sérios danos à ordem e à segurança públicas, principalmente pela possibilidade de enfrentamento entre os trabalhadores rurais e as pessoas que irão cumprir a reintegração. A Procuradoria alertou também que no assentamento residem muitas crianças que podem sofrer consequências pela desocupação.



Ao analisar o caso, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região levou em consideração que 66 famílias vivem no local há pelo menos seis anos e que a retirada dos moradores poderia causar perda e dano. O juízo entendeu que o INSS representado pela AGU tem legítimo interesse em defender seu domínio sobre as terras objeto da reintegração de posse, assim como a cessão feita ao Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a manutenção das famílias assentadas.



"Ressalto, ainda, que aqui se trata de terras já se encontram destinadas a uma finalidade, com relevantes investimentos realizados no local, atos que, em meu entender, legitimamente, induziram a posse", destacou um trecho da decisão.



Histórico



Em 1976, a autarquia responsável pelo pagamento de pensões e aposentadorias era o Instituto Nacional de Previdenciária Social (INPS) que adquiriu o Sítio de Boa Vista e realizou o devido registro imobiliário sob o nº 9.988. A autarquia foi sucedida pelo Instituto de Administração Financeira da Previdência e Assistência Social (Iapas), em 1977. Posteriormente, em 1990, pelo INSS. Todos os bens da primeira unidade foram incorporados durante a sucessão.



Tendo em vista o interesse do Instituto Nacional de Reforma Agrária e Colonização (Incra) no terreno, em 2005 o INSS cedeu o sítio para implantação do projeto de assentamento. Ocorre que durante a demarcação do local foi encontrada cultura de cana de açúcar realizada pela Usina Ester.



O Incra, então, propôs uma ação de reintegração de posse da área que foi deferida em 2005, garantindo o direito à implantação do projeto de assentamento. Em 2006, o Instituto de Colonização criou o projeto de Desenvolvimento Sustentável Milton Santos, criado pela Portaria nº 52 com capacidade para 100 famílias. No local foram alojadas, 66 famílias que somam 200 pessoas.



Em 2012, seis anos após a implantação do assentamento, a Usina Ester ajuizou uma ação possessória da área e conseguiu uma determinação para a desocupação do local. No entanto, a ação não envolveu o INSS, proprietário legítimo do local. De acordo com a empresa, ela teria um contrato de arrendamento com os antigos donos do local.



Por esse motivo o INSS acionou a Justiça para comprovar a titularidade da propriedade. Representada pela PGF, a autarquia previdenciária informou ter interesse em manter todas as famílias assentadas no local diante do importante interesse social envolvendo o caso. Além disso, explicou que eventuais direitos pessoais decorrentes do contrato de arrendamento irregular devem ser cobrados diretamente do arrendador que negociou bens que não possuía com a Usina Ester.



A PRF3 é uma unidade da Procuradoria-Geral Federal, órgão da AGU.















--

Arnaldo José

INTERSINDICAL - Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora





Quando os trabalhadores perderem a paciência

As pessoas comerão três vezes ao dia

E passearão de mãos dadas ao entardecer

A vida será livre e não a concorrência

Quando os trabalhadores perderem a paciência





Certas pessoas perderão seus cargos e empregos

O trabalho deixará de ser um meio de vida

As pessoas poderão fazer coisas de maior pertinência

Quando os trabalhadores perderem a paciência





O mundo não terá fronteiras

Nem estados, nem militares para proteger estados

Nem estados para proteger militares prepotências

Quando os trabalhadores perderem a paciência





A pele será carícia e o corpo delícia

E os namorados farão amor não mercantil

Enquanto é a fome que vai virar indecência

Quando os trabalhadores perderem a paciência





Quando os trabalhadores perderem a paciência

Não terá governo nem direito sem justiça

Nem juizes, nem doutores em sapiência

Nem padres, nem excelências





Uma fruta será fruta, sem valor e sem troca

Sem que o humano se oculte na aparência

A necessidade e o desejo serão o termo de equivalência

Quando os trabalhadores perderem a paciência





Quando os trabalhadores perderem a paciência

Depois de dez anos sem uso, por pura obscelescência

A filósofa-faxineira passando pelo palácio dirá:

“declaro vaga a presidência”!

Mauro Iasi




















José Roberto Silva

Instituto Cultural Lyndolpho Silva

http://www.iclyndolphosilva.net




Raúl Castro assume presidência da Celac, um marco para Cuba



Raúl Castro assume presidência da Celac, um marco para Cuba



AFP inte



O presidente de Cuba, Raúl Castro, assumiu, nesta segunda-feira, a presidência da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), principal organismo de integração regional, o que constituiu o respaldo mais importante de seus vizinhos ao regime comunista da ilha.



"Bem-vindo sr. Raul Castro, eu o parabenizo e lhe entrego o comando", afirmou o presidente do Chile, Sebastián Piñera, ao transmitir a presidência temporária por um ano da comunidade formada por 33 países da América Latina e do Caribe, criada em Caracas em 2011.



Havana é objeto de um embargo econômico e alvo de uma política de isolamento por parte de Washington há 50 anos. E a Celac é o primeiro organismo de diálogo e cooperação que reúne todos os países da América Latina e do Caribe sem a participação dos Estados Unidos e do Canadá.



O presidente Hugo Chávez, que se encontra hospitalizado em Havana há um mês e meio, enviou uma mensagem à cúpula de próprio punho e escrita com tinha vermelha afirmando que com a presidência de Cuba, a "América Latina e o Caribe estão avisando aos EUA em coro que todas as tentativas de isolar Cuba fracassaram e fracassarão".



"Nós nos comprometemos a dar todo o nosso apoio a Cuba, que ocupa a partir desta cúpula de Santiago a presidência temporária da comunidade; é um ato de justiça depois de mais de 50 anos de resistência ao criminoso bloqueio imperial", escreveu Chávez na mensagem lida pelo vice-presidente Nicolás Maduro.



Os líderes regionais que falaram na tribuna da cúpula saudaram o posto que Cuba assumiu nesta segunda.



Este respaldo da região à ilha de Fidel ocorre depois de o presidente Barack Obama, que flexibilizou o embargo contra o país, assumir seu segundo mandato e nomear John Kerry como secretário de Estado. Kerry sempre se declarou cético com respeito ao bloqueio americano, vigente desde 1962.



Raúl Castro, de 81 anos, reconheceu antes de assumir a presidência temporária do grupo que "entre nós há pensamentos distintos e inclusive diferenças, mas a Celac surgiu sobre a história de 200 anos de luta pela independência".



"A Celac não é, portanto, uma sucessão de meras reuniões nem de coincidências pragmáticas, mas uma visão comum da grande pátria", disse o irmão caçula de Fidel Castro na sessão plenária da cúpula.



O presidente uruguaio José Mujica celebrou "este clima que estamos vivendo, de gente que pensa muito diferente, mas descobre que tem que andar junta, algo que nunca se viu na nossa América".



Sebastián Piñera prestou homenagem a três presidentes que contribuíram para criar a unidade latino-americana e caribenha: o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, o mexicano Felipe Calderón e o venezuelano Hugo Chávez.



Em relação a Cuba, a região percorreu um longo caminho desde a ruptura de relações diplomáticas a mando de Washington em 1962, com exceção do México, passando pelo apoio de Havana às guerrilhas que surgiram então na região, até chegar à presidência da Celac.



Na última década, a esquerda chegou ao governo em vários países da região, presididos em alguns casos por ex-guerrilheiros inspirados no 'castrismo', como Dilma Rousseff no Brasil, Mujica no Uruguai, Daniel Ortega na Nicarágua ou como no caso da guerrilha de El Salvador, que constitui o partido que está no poder.



Já Cuba está desempenhando um papel chave nas negociações de paz entre o governo do presidente colombiano, Juan Manuel Santos, com a última grande guerrilha da América Latina, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).



Em dezembro de 2011, numa cúpula em Caracas se decidiu pela fundação da Celac presidida por Chávez, já doente, e foi acordado que o Chile presidiria o primeiro ano e era responsável por organizar a atual cúpula de fundação. Por uma necessidade de equilíbrio, a presidência nos próximos dois anos se dividirá entre Cuba e Costa Rica.



A presidência cubana da Celac gerou uma polêmica na região entre políticos e analistas.



José Miguel Insulza, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), entidade que excluiu o regime castrista a exemplo de Washington em 1962, afirmou que "os chefes de Estado e de governo avaliariam se isto era conveniente ou não em uma comunidade recém-nascida e que ainda necessita afirmar-se na parte internacional".



"No que diz respeito a Cuba, sempre pensei que a inclusão e a cooperação com Cuba é melhor para promover a democracia do que a exclusão e o isolamento", acrescentou Insulza.



A OEA retirou a suspensão do governo de Cuba em 2009, mas Havana manifestou que não lhe interessava regressar à organização do continente criada depois da Segunda Guerra Mundial por determinação de Washington.



afp_tickers



AFP internacional

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Um som na noite com amor


Pra todos que curtem a Tela da Reflexão.

Uma canção ao cair da tarde

Leona Lewis

As Farcs continuarão a capturar militares no contexto do conflito armado



Internacional

Leandra Felipe

Correspondente da EBC



Bogotá – As Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram hoje (30) que continuarão a capturar militares no país, no contexto do conflito armado. O anúncio foi feito em Havana, capital cubana, onde está concentrada a delegação da guerrilha que negocia a paz com o governo colombiano, desde novembro do ano passado.



“Reservamo-nos o direito de capturar como prisioneiros os membros da força pública que se renderam em combate. A eles chamamos de prisioneiros de guerra. Esse fenômeno acontece em qualquer conflito que existe no mundo”, disse o comunicado das Farc.



O grupo armado também reforçou seu comprometimento de não fazer sequestros extorsivos. Em fevereiro do ano passado, a guerrilha anunciou a abolição dos sequestros de caráter econômico de civis.



O comunicado ocorre poucos dias depois da captura de Victor González e Cristian Camilo, policiais sequestrados pela guerrilha na semana passada, no Vale de Cauca, no sudoeste do país. Os dois oficiais são os primeiros capturados pelas Farc após a libertação de quatro militares e seis policiais, em abril do ano passado. Na ocasião, esses eram, oficialmente, os últimos reféns militares em poder da guerrilha.



Nessa terça-feira (29), o ministro de Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón, exigiu a liberação dos dois militares e criticou o sequestro. “Enquanto as autoridades fazem esforços para garantir a segurança do país, a guerrilha se dedica a cometer atentados e outros delitos de lesa-humanidade”, atacou Pinzón.



Para analistas ouvidos pela Agência Brasil, o anúncio das Farc segue as regras aplicadas pelo Direito Internacional Humanitário (DIH), que deve ser obedecido em casos de guerra. O cientista político colombiano Álvaro Villarraga explica que as Farc devem ser coerentes no sentido de não sequestrar civis, conforme prometeram, mas que, no âmbito do DIH, capturar militares não é uma infração.



“Fazer prisioneiros de guerra ou capturar envolvidos de ambos os lados, sejam guerrilheiros ou militares, é aceito do ponto de vista das regras da guerra”, diz Villarraga.



Mesmo assim, o pesquisador adverte que é difícil convencer a opinião pública. “Privar alguém de liberdade é ilegal no contexto dos direitos humanos, por isso é incompreensível para a sociedade, ainda que aceitável dentro da guerra”, arremata.



Já Ariel Ávila, coordenador da organização não governamental Corporação Novo Arco-Íris, especializada no conflito colombiano, acredita que o anúncio de manter a captura de militares serve para as Farc mostrarem que têm força. “A propaganda de que a guerrilha está acuada é enfraquecida quando eles mostram que têm capacidade de capturar militares em combate”, avalia.



E apesar da demonstração de força da guerrilha, Ávila também concorda que o desgaste com a sociedade é inevitável. “Estamos, mais uma vez, tentando um acordo de paz. E, em meio a essa negociação delicada, é complicado esperar compreensão da sociedade”, acrescenta.



Edição: Carolina Pimentel



Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



 fontes Razão Social: Empresa Brasil de Comunicação S/A - EBC

CNPJ: 09.168.704/0001-42

Endereço da Sede: Setor Comercial SUL - SCS - Quadra 08 Bloco B-60

1º Piso Inferior - Edifício Venâncio 2000 - Asa Sul - Brasília/DF Telefone - (61) 3799 5700



Mariza - Beijo de Saudade


Hoje 30 de janeiro - Dia da Saudade

Tomar Partido | Escrito e declamado por Ary dos Santos

Consciência

A imagem
que surgiu
no aspectro
no reflexo
em forma  de arte
em forma de política
que fez minha militância marxista
pela crítica
pela presença
e a eterna
mão cerrada
voltada pro céu,
trazendo a história
e a força terna
De Steve Bikos
E a consciência
de africano
da diáspora.



Manoel Messias Pereira
poeta
São José do Rio Prto-SP

Consciência Negra- Poema de Sarah Janaína Leibovitch


Uma paz
Um olhar de paz
De quem foi retirado
forçadamente de África
E foi colocado por aqui
Simplesmente pra trabalhar

Usaram violências
Usaram filosofias
antropologias e sociologias
Pra tentar desqualifica-nos
Como seres humanos
E hoje nós negros ainda lutamos

lutamos por reconhecimentos
por um estabelecimento
de condições de igualdade
de oportunidade
embora sabemos de nossa diferença
Mas não percebiam, pois olhava-nos com a indiferença.


Manoel Messias Pereira
poeta e professor


Fatos Históricos Importantes do Dia 30 de janeiro

compositor Herivelto Martins

Em 30 de janeiro de 1912 - Nasceu o compositor, violonista brasileiro Herivelto Martins, que foi casado com a cantora Dalva de Oliveira, teve como filho o cantor Peri Ribeiro. Herivelto faleceu em 1992.
Em 30 de janeiro de 1933 - Adolfo Hitler foi nomeado chanceler alemão pelo presidente Paul Von Hindenburg.
Em 30 de janeiro de 1944 - O exército soviético liquida o bloqueio nazista sobre Leningrado. Durante 900 dias morreram mais de 641 mil pessoas.
Mahatma Gandhy
Em 30 de janeiro de 1948 - Foi assassinado o pacifista indu Mahatma Gandhy aos 79 anos de idade.
The Beatles ( os garotos de Liverpool)
Em 30 de janeiro de 1969 - The Beatles faz a sua última apresentação antes de se separar.

Maria Luisa Mendonça



Em 30 de janeiro de 1970 - Nasceu a atriz brasileira Maria Luisa Mendonça
Eiza Gonzales
Em 30 de janeiro de 1990 - Nasceu a cantora e atriz mexicana Eiza Gonzales
Em 30 de janeiro de 2005 - Informe Valech  publicano no Chile denuncia que a ditadura de Pinochet entre 1973 a 1980 executou e prendeu 230 mil pessoas.
Coretta Scott King
Em 30 de janeiro de 2006 - Faleceu a ativista pelos Direitos Humanos nos Estados Unidos da América Coretta Scott King.





The Beatles - Dont Let Me Down


Bom dia camaradas

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Seu Jorge - Amiga Da Minha Mulher


A noite chegou
e é tempo de refletir
Sobre o escuro
E pra isto que tal olhos nos olhos



Manoel Messias Pereira
poeta

GAL COSTA " A LINHA E O LINHO "


A cada momento
penso neste alinhavar
de dois sonhos
que encontra-se
na ternura de seu sorriso.

Manoel Messias Pereira
poeta

Encontros


Te encontro
na leitura de seus lábios
no gosto de sua língua
no calor de seus abraços
no fogo doido da paixão
na satisfação
de nosso  apetite
de ternura e tesão
no silêncio de nossos encontros
e no florescimento
do gozo.
De forma doce
na nossa existência.




Prof.Manoel Messias Pereira

Presidente da Gâmbia decreta 4 dias de trabalho por semana




Presidente da Gâmbia decreta 4 dias de trabalho por semana

Da Redação, com Panapress
Os dias de trabalho irão de segunda a quinta-feira e não até sexta-feira como antes, enquanto as horas de trabalho serão das 8 às 18 horas, ou seja um aumento de duas horas em relação aos horários precedentes.

Dakar - O Presidente da Gâmbia, Yahya Jammeh, decretou novos dias e horários de trabalho para os trabalhadores gambianos, a partir de 1 de fevereiro, segundo um comunicado da Presidência enviado segunda-feira à PANA.



Os dias de trabalho irão de segunda a quinta-feira e não até sexta-feira como antes, enquanto as horas de trabalho serão das 8 às 18 horas, ou seja um aumento de duas horas em relação aos horários precedentes (8h00-16h00).



Sexta-feira passa a ser um dia de repouso, além do domingo, para permitir aos Gambianos ter "mais tempo para rezar".



O comunicado indica também que as instituções como bancos, centros educativos, entre outros, são autorizados a funcionar aos sábados se o desejarem.



Estas alterações entram no quadro dos esforços do Governo para dar mais tempo aos Gambianos para se dedicarem a atividades socioeconómicas, tais como a agricultura.



 CCA - África 21 Digital - Ano V - Todos os direitos reservados

Fatos importantes da história do dia 29 de janeiro

Em 29 de janeiro de 1895 - Nasceu o jornalista Aparício Fernando Brinkerhoff Torelly, o Barão de Itararé, jornalista, articulista e militante do PCB - Partido Comunista Brasileiro.
Em 29 de janeiro de 1944 - Nasceu Yoweri Museveri, presidente de Uganda

Soraya Moraes
Em 29 de janeiro de 1973 - Nasceu cantora e compositora brasileira Soraya de Moraes



Em 29 de janeiro de 1975 - A ditadura dos militares brasileiros, localizaram e anunciaram a descobertas das gráficas do Partidão em São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 29 de janeiro de 1984 - Nasceu a educadora e ativista cultural e mestre em Educação Professora Tatiane de Souza. Que também é a Rainha da Congada Ternos e Fitas da cidade de Olimpia-SP.




Em 29 de janeiro de 1996 - Um incêndio destruiu por completo , o Teatro La Fenice em Veneza _ Italia, que está  hoje reconstruído.


Jacques  Chirac
Em 29 de janeiro de 1996 - O presidente da França Jacques Chirac, anunciou o fim definitivo dos testes nucleares.
 ex-Ministro da cultura  Gilberto Gil 
Em 29 de janeiro de 2005 - O ministro da Cultura da República Federativa do Brasil, o cantor, músico e compositor Gilberto Gil, discursou em defesa da Software Livre no Forum Social Mundial tendo sido muito aplaudido.






GILBERTO GIL - DRÃO


Bom dia a todos os brasileiro, que passa a acompanhar a Tela da Reflexão.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Maria Bethânia - Lágrima - Oasis de Bethânia



A noite
Entrou pelas janelas
ilustrou o céu de estrelas
E encantou nossos olhares
Que fizemos uma prece
de Ave Maria,
pois uma estrela cadente
correu
pela beleza do escuro céu,
E assim fizemos um pedido,
o eterno pedido.
De não separarmos
jamais, nunca e em tempo algum.




Manoel Messias Pereira
professor e poeta

Um instante, respire ouça Marisa Monte




Ser feliz
Um desejo contido
Em cada coração
em cada pauta
cotidiana, de carinhos
que resumimos
no olhar, no beijo
e na leitura de nossas existências


Manoel Messias Pereira

Cenas de Amor

Os seres humanos em cena,
praticando atitudes saudáveis
dando vozes a personagens
fazendo atividades políticas do amor
possibilitando a forte emoção
Cenas do coração.

Na Musica do dia - Nneka - Shining Star Impro Piano


A musica do Dia

Black Women and their beautiful natural hair


Black Beatiful

Charles Taylor jailed for 50 Years [KTN Kenya TV]


A História também relatam que foi no dia 28 de janeiro de 1948 que nasceu o menino que cresceu, estudou formou-se em economia e seu nome era Charles Mcartr Ghankay Taylor e tornou-se presidente da Libéria. Governando entre 1997 a 2003. Mas um dia foi acusado , julgado e condenado pela ONU, por 17 crimes contra humanidade, entre os quais violências sexuais e assassinatos ilegais.

Prof.Manoel Messias Pereira.

Fatos Históricos importantes do dia 28 de janeiro

Em 28 de janeiro de 1853 - Nasceu o escritor cubano e marti da Independência de Cuba em relação a Espanha.
Em 28 de janeiro de 1887 - Fundação da Academia Brasileira de Letras

Em 28 de janeiro de 1906 -Nasceu o militante anarco sindicalista português Emidio Santana
Mickhail Baryshnikov
Em 28 de janeiro de 1948 nasceu o bailarino russo Michkail Bariysnikov
Ana Maria Botafogo
Em 28 de janeiro de 1981 - A bailarina Ana Maria Botafogo tornou-se a 1a. bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
Patricia de Jesus
Em 28 de janeiro de 1982 - Nasceu a atriz e modelo brasileira Patricia de Jesus
Em 28 de janeiro de 1985 - Gravação da música "We are the Wold" da união de músicos  USA for África, liderados por Kenny Roger, Michael Jackson, Lionel Riche e Harry Belafonte.
Em 28 de janeiro de 2009 - O Congresso Nacional da República Federativa do Brasil, aprovou este dia como o Dia Nacional de Combate ao Trabalho escravo, proposta do senador José Nery.




domingo, 27 de janeiro de 2013

Tragedia em santa maria Brazil na boate kiss - cenas fortes ORIGINAL - ...

As pedras nos mapas

Nos mapas
há locais
em que as pedras
adquirem graças
de castigos ou prêmios
são nações
sem noções
de suas mediocridades,
as pedras jogadas
e as pedras recebidas
a raiva, o prazer
que doem vagarosamente
sobre a humanidade.



Manoel Messias Pereira
poeta, Professor


São José do Rio Preto-SP

Trilhos de Trem

Dormem dormentes trilhos de trens
O trem que passa não são dois são três
Trilhos dois trilhos com trem
Que rasga o sono da noite
Como se fora cachoeira de água
A noite escondida e a cascata das águas
E os trilhos do trem com o trem
Não são dois são três
O que rasga não rasga 
E como se deslizasse
Também não desliza a força do trem
Nos trilhos rasga o silêncio
Cascata das águas românticos som
Tão bravo e preciso de medo e de amor
Tão breve e presente que passa na noite
A presença que esvai




Marco Aurélio Breseghello

poeta,professor e funcionário público

São José do Rio Preto-SP

O Milagre

A pedra
O ventoPássaros nas antenas
Trens nos trilhos
Barcos nos portos
A dança das folhas secas
nos jardins
A quietude do bairro...
A vida plena
de deslumbramento sem seus
movimentos e imobilidades.




Solimar Cristina Maritan
poetisa riopretense, e funcionária pública



natural de José Bonifácio -SP

Fatos Históricos importantes do dia 27 de janeiro

Waldir Azevedo
Musico brasileiro
Em 27 de janeiro de 1923 - Nasceu o músico brasilerio Waldir Azevedo
Em 27 de janeiro de 1937 - Sumário de culpa do Ten Francisco Leiva Otero dirigente comunista do Levante de 1935 . É o quarto neste grupo, ele esta de pé.
Campo de Concentração de Auschwstz

Em 27 de janeiro de 1945 - As tropas soviéticas libertaram os prisioneiros do campo de concentração nazista de Auschwtz.

Em 27 de janeiro de 1948 - O jornal Classe Operária editou o Manifesto de Janeiro que iniciou a mudança da linha de atuação do PCB - Partido Comunista Brasileiro.

o cantor  e compositor Djavan

Em 27 de janeiro de 1949 - Nasceu o cantor e compositor Djavan
Lupe Fuentes - atriz mexicana


Em 27 de janeiro de 1987 - Nasceu a atriz mexicana Zuleidy Pedrahita, conhecida pelo nome artístico de Lupe Fuentes
Howard Zinn

Em 27 de janeiro de 2010 - Faleceu o historiador, cientista político, dramaturgo e ativista libertario, Professor Howard Zinn.

Barba ensopada de sangue

Daniel Galera


Romance de Daniel Galera conquista crítica e leitores com literatura que foge ao padrão de best-sellers

Editora investiu pesado em marketing do livro 'Barba ensopada de sangue'

Notícia

Carlos Herculano Lopes - EM Cultura





No fim do ano passado, com reflexos entrando janeiro adentro, dois acontecimentos literários chamaram a atenção, por motivos diferentes: o fenômeno dos livros eróticos femininos descartáveis, à la 'Cinquenta tons de cinza', de E. L. James; e o sofisticado romance 'Barba ensopada de sangue', de Daniel Galera, que despertou interesse de leitores (já vendeu 9 mil exemplares) e da crítica. Nascido em 1979, em São Paulo, e criado no Rio Grande do Sul, Galera estreou na literatura em 2001, com o volume de contos 'Dentes guardados', pelo selo editorial Livros do Mal, de Porto Alegre, do qual foi um dos criadores.



Nos anos 2000, outros livros nacionais seguiram enredo semelhante: os romances 'Perdas e ganhos', de 2003, da gaúcha Lya Luft, ficou por várias semanas entre os mais vendidos; e 'Dois irmãos', de 2000, de Milton Hatoum, teve o mérito, pela repercussão obtida entre a crítica, de colocar o escritor amazonense entre os principais nomes da literatura brasileira contemporânea.



Outro romance do mesmo período, 'Filho eterno', de 2007, do catarinense morador de Curitiba Cristovão Tezza, também deu o que falar. História autobiográfica, na qual o escritor, num tom comovente e maduro, narra sua complexa relação com o filho portador de síndrome de Down, o livro garantiu ao autor os mais importantes prêmios literários da temporada.



Para Noemi Jaffe, doutora em literatura brasileira pela USP e crítica literária, livros como 'Cinquenta tons de cinza' são os que, provavelmente, vão dar o tom do cenário que está se configurando no universo literário. “Percebo os leitores aumentando, mas a qualidade diminuindo e acho que a tendência é piorar. Nesse sentido, vejo com bons olhos um fenômeno de vendas como está ocorrendo com 'Barba ensopada de sangue', embora não se compare aos 'Cinquenta tons', porque estimula uma leitura maciça, de qualidade”, pontua.





Saiba mais...

Daniel Galera lança romance policial Barba Ensopada de Sangue Autora de 'A verdadeira história do alfabeto', Noemi acha que Barba ensopada de sangue é até agora, o melhor livro de Daniel Galera, independentemente do fato de ter sido cercado por uma campanha midiática forte, com direito a três capas diferentes. “Certamente é um marco nesse sentido: da aposta em torná-lo o novo nome da literatura brasileira. Mas o livro é realmente bom, embora seja preciso esperar ainda bastante tempo para afirmar algo categórico”, diz. Da geração de Galera, que está sendo reconhecida, a professora cita escritores como Michel Laub, Fabrício Corsaletti, Angélica Freitas e Verônica Stigger. Para Noemi, é difícil dizer se esta geração já deixou sua marca: “Isso só o tempo irá falar”.



Já para o escritor e crítico Nelson Oliveira, que passou a assinar Luiz Braz, vários escritores brasileiros chamaram a atenção em 2012. Entre eles, destaca Angélica Freitas, com a coletânea de poemas 'Um útero é do tamanho de um punho'; Luisa Greisler, com o romance 'Quiçá'; e Daniel Galera, com 'Barba ensopada de sangue', na sua opinião um romance valioso e maduro. “Mas seria injusto com os outros afirmar que esse livro foi o principal lançamento do ano passado. Acredito que o próprio Daniel concordaria comigo, que seu romance pertence a uma interessante safra de títulos nacionais, todos muito bons”, afirma.



O pernambucano Marcelino Freire, companheiro de geração de Galera, acha que 'Barba ensopada de sangue' é um marco na carreira do autor. “Ele está maduro, cada vez melhor. Leva a sério seu ofício. Lembro-me dele carregando caixas de livros nas costas, na Feira do Livro de Porto Alegre. Tenho orgulho de ter sido e estar sendo testemunha de tudo isso”, diz Marcelino.



Quem também está atento ao que se publica no país é o escritor e crítico mineiro Ronaldo Cagiano. Nascido em Cataguases, na Zona da Mata mineira, e atualmente vivendo em São Paulo, ele diz que a geração de escritores que surgiu dos anos de 1990 para cá – e à qual pertence Daniel Galera – se diferencia da dos anos de 1960/70, que produziu uma literatura caudatária do espírito de resistência, vanguardista e renovadora. Já os autores que vieram depois, segundo ele, pertencem a outra vertente, influenciados por momento distinto e pelos ícones da modernidade, beneficiados pelo ambiente da tecnologia e pelos fetiches da comunicação e cultura de massas. “São escritores menos ousados, alienados de um projeto mais crítico engajado, mas tendentes a uma literatura que agrade ao mercado”, diz Cagiano.



Quanto a 'Barba ensopada de sangue', o crítico reafirma a opinião de que o romance é um marco na carreira de Daniel Galera, não só por ter alcançado maturidade e segurança em sua arquitetura formal, mas pelo mergulho radical numa história tensa e densa. “É uma narrativa habilidosa e instigante, que vem consolidar o seu nome. Desde sua estreia em 2001, Daniel Galera, com seu estilo peculiar, vem só crescendo”, afirma Cagiano.



Quanto a livros como a trilogia 'Cinquenta tons', ele acha que isso pode ser explicado pelo fato de o sistema editorial oscilar entre o mercado e a arte. Para Cagiano, “é preciso ganhar dinheiro com o lixo e fazer caixa para poder publicar o luxo”. Com o que concorda Marcelino Freire, para quem os livros eróticos atuais são uma brochada literária. “Já o Galera, creio, é jovem, vigoroso e muito mais potente”, provoca.





Barba ensopada de sangue

• De Daniel Galera

• Editora Companhia das Letras

• 424 páginas, R$ 39,50

Diários Associados © Copyright 2012, S/A Estado de Minas. Todos direitos reservados.





A vez dos artistas negros




A vez dos artistas negros

Diário da Manhã

Paulo Vitória



Pela primeira vez, graças à brilhante e perseverante presença do Movimento Negro, a exemplo de entidades e coletivos negros como a AKOBEN (do Rio de Janeiro) e CIA TEATRAL ZUMBI DOS PALMARES (de Goiás), ambas também presentes na Audiência Pública promovida pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, no dia 21 de agosto de 2012, em Brasília, tornou-se finalmente realidade a publicação de um primeiro edital do Prêmio Funarte Artistas Negros, que contemplará trinta e três (33) projetos de valorização dos artistas negros.







Fruto desta importante audiência pública, que teve como objetivo debater a implementação de uma política de patrocínio, por meio de editais e linhas de financiamento para o incentivo à cultura e artes negras nas suas variadas formas, o Prêmio também conhecido como GRANDE OTELO, é, sem dúvida alguma, um dos mais visíveis exemplos de ações direcionadas em prol de uma perspectiva melhor para os (as) artistas negros (as) de todo o país.







Especialmente em relação ao estado de Goiás, a CIA TEATRAL ZUMBI DOS PALMARES considera o diálogo entre entidades representantes do Movimento Negro e do Poder Público como fatores essenciais para as várias formas de azeitar a complicada engrenagem que permeia a condução dos rumos da vida pública.







Quando realmente há diálogo transparente, comprometido, consistente é possível também fazer com que os (as) artistas negros (as) voltem a sonhar e lutar por mais espaço na área das artes enquanto artista e produtor da sua própria Arte. Percebemos, então, que a construção de um outro mundo continua sendo possível, ainda que freqüentemente contrariando os interesses dos racistas de plantão (geralmente autores de belíssimos discursos contra as cotas, por exemplo).







O diálogo entre Movimento Negro de todo o Brasil, Secretaria Especial de Promoção de Políticas para a Igualdade Racial (SEPPIR) e Ministério da Cultura (MINC), via FUNARTE e Fundação Cultural Palmares, concretamente passará a valorizar ainda mais os (as) artistas negros (as) na medida em que o número de editais e de categorias também for multiplicado e estendido para cada estado, cada município, cada capital. Portanto, nada mais justo do que contemplar prioritariamente artistas negros (as), grupos negros (as) e companhias negros (as) que jamais tiveram a oportunidade de terem seus projetos selecionados justamente porque seu perfil artístico e administrativo geralmente“não se encaixa” nos padrões estabelecidos pelos editais de ideologia branca e européia, resultado da histórica presença sutil do racismo brasileiro.







Esperamos também que a cada edital esteja sempre evidenciado a necessidade de fomentar os (as) artistas, grupos e companhias teatrais que trazem em sua raíz histórica a comprovação de um trabalho concreto enquanto verdadeiros militantes e ativistas da promoção da Consciência Negra através da Arte.







Afinal de contas assumir-se enquanto negro (a) nunca foi uma atitude tão fácil, diante de uma estrutura hierárquica que traz em sua coluna vertebral diversas ramificações de um racismo pensado, construído e arquitetado bem à moda brasileira desde que negros e negras aqui foram jogados à sorte como meras mercadorias, sem alma, sem carinho e sem amor. Mas também jamais será uma atitude difícil para artistas brancos que apenas têm o desejo de usufruir oportunisticamente dos benefícios dos editais e cotas raciais.







O fato é que os integrantes desta Companhia não podem esconder a verdadeira emoção de poderem continuar falando abertamente sobre as injustiças aos atores e atrizes negros(as) que não tiveram a mesma oportunidade econômica, política, social e financeira nos mesmos moldes de atores e atrizes não negros (as).







Os poucos atores e atrizes negros (as) bem-sucedidos no cenário goiano certamente ainda não perceberam a enorme dimensão que existe entre o simples fazer teatral e o fazer teatral com sabor de militância, que se traduz em comprovar também um extenso currículo nas várias esferas de discussões de políticas principalmente no que se refere à luta pela inserção dos (as) artistas negros (as) pertencentes a todas as classes sociais.







Queremos dizer, para continuar contribuindo, queremos dizer que necessário se faz a proliferação de vários editais também para os (as) artistas negros (as), grupos negros artísticos e companhias negras artísticas historicamente excluídas e não reconhecidas nem mesmo por muitas companhias brancas de teatro em nosso estado, as quais simplesmente tem verdadeira ojeriza quando o tema a ser discutidos (nas conferências por exemplo) é sobre a situação de exclusão dos atores e atrizes negros (as).







Independente de ser ou não premiada, a direção da CIA TEATRAL ZUMBI DOS PALMARES entende que é fundamental inspirar-se em atitudes louváveis como a do Teatro Experimental do Negro (TEN), criado por Abdias do Nascimento, com o objetivo de verdadeiramente criar oportunidades de espaço para o surgimento de vários artistas negros (as) goianos (as).







O fato incontestável é que, mais uma vez, este tipo de ação é algo inédito. Ações semelhantes a esta demonstram o quanto é possível avançarmos para a igualdade racial no campo dos direitos e deveres assegurados pela Constituição Federal, em seu artigo quinto, em que todos somos iguais. Iguais sim enquanto seres de uma mesma espécie, porém desiguais em termos de condições de sobrevivência educacional, cultural, artística, social, religiosa, econômica, financeira e até mesmo do ponto de vista da verdadeira História sobre o povo negro e do continente africano.







Para que seja possível atingirmos este nível ideal de igualdade, pelo menos entre artistas negros e brancos, é preciso muita coragem, muita audácia, por parte de vários militantes do Movimento Negro, a exemplo de Hilton Cobra, conhecido como Cobrinha, da Cia dos Comuns e do Bando do Olodum, responsável central pela realização das três edições do FÓRUM NACIONAL DE PERFORMANCE NEGRA em Salvador.







Mas também é preciso muita coragem e determinação por parte dos gestores que estão à frente de órgãos públicos de primeira grandeza no setor artístico e cultural como a ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros, a ministra da cultura, Marta Suplicy, o presidente da Funarte, Antonio Grassi e o presidente da Fundação Cultural Palmares, Elói Ferreira de Araujo. É lamentável. constatarmos que o racismo também esteja presente nas Artes Cênicas.







E por falar em artistas negros (as), por coincidência ou não, é bom lembrar que, recentemente neste mês de dezembro, a vencedora do programa THE VOIX BRASIL, transmitido pela Rede Globo, foi a cantora negra, de Brasília, ELLEN OLÉRIA e que o vencedor do programa Ídolos, transmitido pela Rede Record de TV, foi o gaúcho EVERTON (ambos negros).







A CIA TEATRAL ZUMBI DOS PALMARES torce para que esta conquista em termos de editais para artistas negros (as) não seja fruto apenas de uma febre momentânea e sim que faça parte de uma política definitiva de Estado e não de uma política provisória de Governo.







Axé a todos (as) os(as) artistas negros (as) declarados ou ainda não declarados, já que ser negro(a) às vezes também faz parte de uma moda naturalmente oportunista por parte de quem nem sequer tem consciência ou respeito pelas arte, pela cultura e pela religiosidade dos vários povos de matrizes africanas .







E que verdadeiramente esta realmente seja a vez dos (as) artistas (as) negros que tanto ralam também por um lugar ao sol.







(Paulo Vitória, ator, diretor de Teatro, professor de Teatro, professor de Arte, formado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-Graduado em Filosofia da Arte pelo Instituto de Filosofia e Teologia do Estado de Goiás (Ifiteg), jornalista formado pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no Rio Grande do Sul, diretor da Companhia Teatral Zumbi dos Palmares)






DM.com.br © 1996-2012 - Todos os direitos reservados

Haiti e a dificuldade da reconstrução devido a luta por terras



Reuters
26/01/2013








O asfalto negro e suave da Estrada Nacional nº 7 se estende por cerca de oito quilômetros além de Camp Perrin, uma cidade no fértil sudoeste do Haiti. No entanto, ele para de forma abrupta antes de chegar na porta da casa do fazendeiro Liphete Denis, substituído por um caminho de lama e pedregulhos que inunda na estação das chuvas e forma nuvens de poeira quando o tempo fica seco. "Não sei por que eles pararam", disse Denis, de 43 anos. "Gostaríamos de ter a estrada pronta. Precisamos dela."





AP

Residentes do campo de Jean-Marie Vincent, montado para abrigar desalojados pelo terremoto de 2010, esperam por compradores para seus produtos em Porto Príncipe (09/01)O projeto de 90 km de estrada deveria ligar a cidade portuária de Les Cayes, no sul, a Jérémie, uma cidade em uma das regiões mais negligenciadas do Haiti. Deveria pavimentar uma estrada cheia de buracos que passa entre montanhas estreitas e cruza um rio propenso a enchentes, tornando o transporte para Jérémie árduo e perigoso.



Em vez disso, a estrada inacabada se tornou um símbolo de como os esforços para melhorar a infraestrutura do Haiti, principalmente depois do devastador terremoto de 2010 que matou mais de 200 mil pessoas, estão em conflito com as leis fundiárias do país.



Um registro de terras praticamente inexistente, títulos fraudulentos de propriedade, processos pouco transparentes para a transferência de posse e um emaranhado de burocracia suspenderam o projeto da estrada e investimentos internacionais similares.



Leia também - Artesãos prosperam no Haiti três anos após terremoto



As leis de terra do Haiti adiaram o término de uma instalação de tratamento de água financiada pela Espanha nos arredores da capital, Porto Príncipe, e impediram o início da construção de um hospital público de 26 milhões de dólares na cidade de Gonaives.



O Vaticano evita a construção e reconstrução de igrejas neste país fortemente católico, e a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID) decidiu erguer casas permanentes no extremo norte do Haiti em vez de na capital, onde as questões jurídicas são mais complicadas e onde grande parte dos prejuízos do terremoto foi registrado.



Aonde eles foram?



A pavimentação da Estrada Nacional No. 7 foi anunciada em 2008 pela Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional (CIDA), em conjunto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a um custo de 100 milhões de dólares, que desde então subiu para 132 milhões de dólares.



A empresa construtora brasileira OAS ganhou o processo de licitação com uma oferta de 94 milhões de dólares e em 2009 foi para lá para começar a trabalhar na primeira extensão de 70 km de estrada. Para economizar dinheiro, a empreiteira estatal CNE lidaria com outra seção, de Les Cayes até Camp Perrin.



Então certo dia, disse Denis, os brasileiros e suas máquinas pesadas partiram.



As paredes de concreto da casa pequena, de dois cômodos, que ele divide com a mulher e o filho bebê ainda estão rachadas dos tremores provocados pelos caminhões da OAS.



Algumas casas na beira da estrada foram desapropriadas pelo Estado para abrir caminho para uma rodovia mais larga. Outras foram condenadas e marcadas para a demolição, mas a indenização foi aleatória. Denis disse que recebeu uma notificação escrita a mão no início de 2011, dizendo que ele iria receber o equivalente a 3.000 dólares quando sua própria casa fosse demolida, mas ninguém nunca apareceu com o dinheiro nem com os tratores de demolição.



A OAS disse que seu trabalho ficou comprometido quando ela se confrontou com trechos de terras ocupadas cuja propriedade era incerta e moradores que não tinham sido pagos para sair.



"O processo de desapropriação levou muito mais tempo do que foi previsto", disse Gilles Damais, chefe de operações do BID no Haiti. "Uma pessoa recebia o pagamento numa semana, e na semana seguinte alguém vinha e dizia, 'Não, ele não era o dono, outra pessoa é dona dessa terra'."



Com o cronograma atrasado e o orçamento estourado, a OAS suspendeu os trabalhos em julho e entrou com uma ação contra o Estado pedindo mais de 40 milhões de dólares. Quando o governo haitiano reagiu com uma ação de 2,7 milhões de dólares, os dois lados abandonaram os processos no que uma autoridade descreveu como "um acordo de cavalheiros". O contrato da OAS foi oficialmente terminado em dezembro.



O chefe da Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional, Julian Fantino, expressou impaciência com o ritmo lento e a ineficiência dos projetos de desenvolvimento no Haiti.



Durante uma visita ao Haiti em novembro, Fantino disse à Reuters, sem mencionar especificamente o projeto rodoviário, que "os canadenses não vão preencher um cheque em branco sem algumas garantias e sem considerar os resultados".



Quem é dono de quê?



Os problemas no registro de terra do Haiti podem ser rastreados até sua independência em 1804 e ao impulso do líder revolucionário Jean-Jacques Dessaline por reforma agrária.



A transferência de um título de terra envolve inspetores, notários e a autoridade fiscal central. Para evitar os gastos e a burocracia, muitos donos de terras usam métodos informais para transferir a propriedade, tornando difícil, se não impossível, determinar quem é o verdadeiro dono.



Os titulares podem depositar uma cópia dos documentos junto à ONACA, a Agência Nacional de Registro de Terras, mas não são obrigados a fazê-lo.



"A agência da ONACA é uma criança não desejada", disse seu diretor, Williams Allonce. Desde sua criação, em 1984, a agência que quase não recebe recursos só conseguiu registrar 5 por cento dos mais de 27.700 quilômetros quadrados do Haiti.



Uma segunda agência, o Comitê Interministerial para Planejamento Agrário, também está trabalhando sobre um registro nacional, e o Ministério das Obras Públicas tem sua própria comissão interna para a gestão de expropriação e títulos de propriedades.



Depois do terremoto, agências estatais e estrangeiras estavam ávidas para começar a reconstrução, mas identificar proprietários no meio do caos era geralmente impossível, então as agências de ajuda tiveram que encontrar outras formas legais de contornar o problema.



"Literalmente, ninguém tem a resposta para como se compra e venda propriedades no Haiti", disse Elizabeth Blake, vice-presidente do Habitat for Humanity International.



Em uma visita para o Haiti em janeiro, o ex-presidente norte-americano Bill Clinton disse que a posse e questões de segurança de propriedade tinham que ser respondidas para a reconstrução seguir adiante.



"O que eu gostaria de ver feito é uma ênfase renovada neste ano de parte do governo no esclarecimento das leis agrárias... e fazer outras coisas que irão basicamente reduzir o atraso e o custo de começar negócios e investimentos", disse Clinton.









Fonte: Thomson Reuters

sábado, 26 de janeiro de 2013

Postural

Compartilhar num Partido
Não pelas sombras
Mas pela claridade
Em leituras de livros
observado idéias ou criticas delas
no compasso de uma realidade
e não nos texto desconexos
ou descompassados,
Somos tijolos
da muralhas de liberdade
formados em células,em núcleos,
no Mundo, no Estado, nas cidades
Em luta por uma unidade.

Atento a Freud
dormiremos num divã
Atento a Kiekegaard
na leitura de nossa existência
Atento a Karl Marx
Entendemos que é preciso transformar
Sabendo que a transformação
Nasce sempre num processo de revolução
No entender das contradições
e de forma gnoscológica
afirmando e reafirmando a dialéctica.




Manoel Messias Pereira
poeta
professor
São José do Rio Preto-SP

Manoel Messias Pereira

Manoel Messias Pereira
perfil

Pesquisar este blog

Seguidores

Arquivo do blog